Identificação de fungos produtores de micotoxinas cancerígenas em pães de sanduíches vendidos no centro comercial de Macapá-AP

Rayra Lorranne Gomes Dos Santos, Mayara Cristina Do Nascimento Dias, Claude Porcy, Nahon De Sá Galeno

Resumo


Objetivo: Identificar a presença de fungos produtores de micotoxinas cancerígenas em sanduíches vendidos nas panificadoras do centro comercial de Macapá. Método: Foi realizado um estudo qualitativo, transversal, exploratório, com estudos de análises laboratoriais em quinze amostras de pães, as amostras passaram por procedimento microbiológico para o isolamento fúngico e posteriormente identificação do gênero por técnica microscópica. Resultado: Em 73% das amostras houve o crescimento de colônias fúngicas com presença de fungos produtores de micotoxinas cancerígenas. Em 39,9% das amostras foram identificados fungos do gênero Fusarium sp todos das espécie F. graminearum, em 26,6% da amostra foram  identificados fungos do gênero Aspergillus sp em duas espécies sendo 19,95% da espécie Aspergillus flavus e 6,65% da espécie Aspergillus versicolor e em 6,4% fungos do gênero Penicillium sp apenas da espécie Penicillium corylophilum. Conclusão: Houve um crescimento significativo de espécies fúngicas produtoras de micotoxinas cancerígenas nos sanduíches analisados, entretanto para uma maior expressão dos resultados seria necessário à análise das amostras sobre o aspecto micotoxicológico, através de quantificação de micotoxinas fúngicas para saber se os fungos encontrados produzem micotoxinas acima dos valores aceitos pela legislação vigente. Mesmo assim os fungos encontrados representam um risco potencial de saúde pública.


Palavras-chave


Micotoxicoses, Alimentação, Toxina Fúngica; MICOTOXICOSE; PÁO/análise; CARCINÓGENOS; ANÁLISE DE ALIMENTOS; QUALIDADE DOS ALIMENTOS

Texto completo:

PDF

Referências


PEREIRA, K. C ; SANTOS, C. F Mycotoxins and the ir carcinogenic potential Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde Vol. 15, Nº. 4, Ano 2011 p. 147-165, 2011.

GARCIA, D.; RAMOS, A. J.; SANCHIS, V. et al. Modelling the effect of temperature and water activity in the growth boundaries of Aspergillus ochraceusand Aspergillus parasiticus. Food microbiology, v. 28, n. 3, p. 406-417, 2011.

GARCIA, D.; RAMOS, A. J.; SANCHIS, V. et al. Predicting mycotoxins in foods: a review. Food Microbiology, v. 26, n. 8, p. 757-769, 2009.

KHOMUTOV, R. M.; DZHAVAKHIYA, V. G.; KHURS, E. N. et al. Chemical regulation of mycotoxin biosynthesis. Doklady. Biochemistry and biophysics, v. 436, n. 4, p. 25-28, 2011.

FOOD INGREDIENTS BRASIL. As Micotoxinas. Número 7 2009. Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2014.

ICB. Instituto de Ciências Biológicas. Agentes Etiológicos das Intoxicações Fúngicas. Disponível em: http://www.icb.ufmg.br/mic/mic/material/2agentesetiolgicosdasintoxicaesfngicas.pdf>Acesso em: 10 mar. 2014.

HERMANNS, Gislaine; PINTO, Flávia T.; KITAZAWA, Samira E; NOLL, Isa B. Fungos e fumonisinas no período pré-colheita do milho. Revista Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas, v.26, n.1, jan./mar. 2006.

FACCA, M. C. L.; DALZOTO, P. R. Aflatoxinas: um perfil da situação do amendoim e derivados no cenário brasileiro. Biológico, v. 72, n. 1, p. 25-29, 2010.

NAKAI, V. K.; OLIVEIRA ROCHA, L. DE; GONÇALEZ, E. et al. Distribution of fungi and aflatoxins in a stored peanut variety. Food Chemistry, v. 106, n. 1, p. 285-290, 2008.

IDRIS, Y. M. A.; MARIOD, A. A.; ELNOUR, I. A. et al. Determination of aflatoxin levels in Sudanese edible oils. Food and chemical toxicology : an international journal published for the British Industrial Biological Research Association, v. 48, n. 8-9, p. 2539-2541, 2010.

VOGEL, Sandra Duarte; JIMENEZ, Luis C Villamil. MicotoxinasenlaSalud Publica. Revista Salud Publica, Bogotá, v.8, supl. 1, maio 2006.

FAZIO, Maria Luiza Silva. Caráter “Killer” e antagonismo de leveduras aplicadas no biocontrole defitopatógenosmicotoxigênicos em fruta. São Paulo, ago. 2009. Disponível em:. Acesso em: 13 jan 2014.

NOGUEIRA, S.; OLIVEIRA, M.B.P.P. Prevalência de ocratoxina em alimentos e consequentes problemas de segurança alimentar. Alimentação Humana, v.12, n.2, 2006.

POZZI, Claudia Rodrigues; ARCARO, Juliana Rodrigues Pozzi; JUNIOR, Irineu Arcaro; FAGUNDES, Helena; CORRÊA, Benedito. Aspectos Relacionados à Ocorrência E Mecanismo de Ação de Fumonisinas. Revista Ciência Rural, Santa Maria, v.32, n.5, set./out. 2002.

FREIRE, Francisco das Chagas Oliveira; VIEIRA, Icaro Gusmão Pinto; GUEDES, Maria Isabel Florindo; MENDES, Francisca Noélia Pereira. Micotoxinas:Importância na Alimentação e na Saúde Humana e Animal. Embrapa Agroindústria Tropical, Fortaleza. Documentos 110, 1.ed. 2007.

Scheuer, P, M.; Francisco, A.; Miranda, M, Z.; Limberger, V,M.; TRIGO: CARACTERÍSTICAS E UTILIZAÇÃO NA PANIFICAÇÃO Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.13, n.2, p.211-222, 2011 ISSN 1517-8595

Ministério da Saúde. Resolução RDC nº. 263, de 22 de setembro de 2005. Aprova o regulamento técnico para produtos de cereais, amidos, farinhas e farelos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, set. 2005. Disponível em: . Acesso em: 15 janeiro 2014.

NEVES, J. A. INTERFERÊNCIA DA FARINHA DE TRIGO NA QUALIDADE MICOLÓGICA E MICOTOXICOLÓGICA DO PÃO TIPO FRANCÊS Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.13, n.2, p.123-134, 2011 ISSN 1517-85952013

TIBOLA, C. S.;FERNANDES, J. M. C.; DEL PONTE, E. M. ; SPOLTI, P.; PAVAN,W. Micotoxinas Em Trigo No Brasil: Causas, Panorama Atual E Perspectivas Para O Manejo 2012 [ acesso 24 fevereiro 2014] disponível em: http://www.cnpt.embrapa.br/.../micotoxinas%20em%20trigo%20no%20brasil.

ANVISA Relatórios de Atividades 2011 : Limites para Micotoxinas [acesso 24 fevereiro 2014]. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/.../Relatório+de+Atividades+2011.pdf


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista da Associação Brasileira de Nutrição - RASBRAN