Análise do consumo de alimentos com ação de prevenção e de risco para o câncer gástrico por frequentadores de locais de abastecimento de alimentos em São Paulo

  • Daniela Fagioli Universidade Paulista - UNIP
  • Priscila Brito Oliveira Universidade Paulista de São Paulo - UNIP
  • Patrícia H. G. Rios Pereira Universidade Paulista - UNIP
  • Igor Bordello Masson Universidade Paulista - UNIP
  • Eliana Pereira Vellozo Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP/EPM. Universidade Gama Filho
Palavras-chave: Neoplasias gástricas, Dieta, Alimentos, NEOPLASIAS GÁSTRICAS/prevenção & controle, NEOPLASIAS GÁSTRICAS/dietoterapia, ABASTECIMENTO DE ALIMENTOS/métodos

Resumo

Objetivo: Avaliar o consumo de alimentos com ação de prevenção e com ação de risco em relação ao câncer gástrico (CG) por frequentadores dos locais de abastecimento de alimentos em São Paulo. Método: Trata-se de um estudo transversal, realizado em feiras, supermercados e “hortifrutis” de São Paulo, onde foram coletados dados de setenta indivíduos sem diagnóstico de câncer gástrico, que responderam a um questionário de frequência alimentar e de consumo de alimentos categorizados em grupos segundo “fator de proteção” e “fator de risco.” Resultados: A análise dos dados possibilitou identificar que a frequência aos locais de abastecimento de alimentos era diária entre 37,1% (n=26), e semanal entre a maioria de 60% (n=42). O consumo diário dos alimentos do Grupo Fator de Proteção entre indivíduos do gênero feminino foi maior do que entre os do gênero masculino, sendo chocolate 100% (n=7); bebidas alcoólicas 83,3% (n=5) e café 47,1% (n=25) os alimentos ingeridos diariamente pelo Grupo Fator de Risco. A maioria dos indivíduos que consumia diariamente os alimentos considerados como “de risco” para C não ingeria nenhum alimento de ação preventiva diariamente. Conclusão: O grupo estudado apresentou baixo consumo de frutas, verduras, legumes e leguminosas, sendo possível observar ingestão maior desses alimentos, de ação preventiva quanto ao desenvolvimento de câncer gástrico, entre indivíduos do gênero feminino. Café, suco artificial e refrigerante foram os alimentos considerados “de risco” e que contribuem para o desenvolvimento do CG de maior ingestão entre indivíduos do gênero masculino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Fagioli, Universidade Paulista - UNIP
Docente do Curso de Nutrição da Universidade Paulista - UNIP, São Paulo – SP, Brasil
Priscila Brito Oliveira, Universidade Paulista de São Paulo - UNIP
Nutricionista pela Universidade Paulista de São Paulo - UNIP, São Paulo – SP, Brasil
Patrícia H. G. Rios Pereira, Universidade Paulista - UNIP
Docente do Curso de Nutrição da Universidade Paulista - UNIP, São Paulo – SP, Brasil
Igor Bordello Masson, Universidade Paulista - UNIP

Docente do Curso de Nutrição da Universidade Paulista - UNIP, São Paulo – SP, Brasil.

Docente do Curso de Fisioterapia da Universidade Paulista - UNIP, São Paulo – SP, Brasil

Eliana Pereira Vellozo, Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP/EPM. Universidade Gama Filho

Pesquisadora, Coordenadora de Ambulatório do Centro de Atendimento e Apoio ao Adolescente - Departamento de Pediatria da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP/EPM. Docente do Curso de Pós-Graduação da Universidade Gama Filho, São Paulo – SP, Brasil

Publicado
2013-11-19
Como Citar
Fagioli, D., Oliveira, P. B., Pereira, P. H. G. R., Masson, I. B., & Vellozo, E. P. (2013). Análise do consumo de alimentos com ação de prevenção e de risco para o câncer gástrico por frequentadores de locais de abastecimento de alimentos em São Paulo. Revista Da Associação Brasileira De Nutrição - RASBRAN, 5(1), 34-40. Recuperado de https://rasbran.emnuvens.com.br/rasbran/article/view/5
Seção
Artigos Originais